Leonid Kogan

Nome completo: Leonid Borisovitch Kogan

Nascimento: 14/11/1924

Falecimento: 17/12/1982

Leonid Kogan iniciou seus estudos de violino aos 6 anos de idade com Philip Yampolsky (aluno de Leopold Auer). Leonid lembra que quase desistiu do violino após tocar duas lições, mas praticando apenas 5 minutos por dia conseguiu manter vivo seu entusiasmo. Ele gostava de tocar peças que davam menos trabalho para tocar. Ele também lembra que seu professor Yampolsky foi sua maior inspiração, pois amava seu trabalho de lecionar e era um excelente violinista.

Com 10 anos de idade sua família se muda para Moscow e ele passa a estudar com Abram Yampolsky (curiosamente sem parentesco com Philip Yampolsky).

Quando Kogan tinha 12 anos de idade, Jacques Thibaud estava em Moscow e ouviu Kogan tocar durante as aulas com Abram Yampolsky. Thibaud ficou impressionado com o talento e previu uma brilhante carreira para o joven Kogan. Com isso, seu professor Abram Yampolsky ficou tão interessado no talento do garoto e logo ofereceu a Kogan para que morasse na sua residência para ter aulas diariamente. Com esse trabalho diário, Kogan progrediu rapidamente.

Repertório de estudo

Entre as primeiras obras que Kogan estudou foram “La Folia”, de Corelli, e ” Perpetuum Mobile” de Ries.

Os estudos de violino que ele fez foram os de Kreutzer, Gavinies, Fiorillo, Dont e Rode.

Sobre os estudos de Rode, Kogan diz: “Na minha opinião são os melhores estudos. Eles dão ao violinista todo o conhecimento técnico necessário.”

Certa vez Kogan disse: “Eu pratico escalas todos os dias. Acho tão importante quanto comer, dormir e escovar os dentes.” Ele também disse que quando tem 1 hora para estudar, dedica metade às escalas e a outra metade aos estudos. Nas escalas, Kogan observa: “Nunca estudo escala de três oitavas, apenas de quatro oitavas. O motivo é que na de quatro oitavas, na última oitava o violinista tem a oportunidade de desenvolver as regiões mais agudas.”

Formação

Kogan estudou na Escola Central de Música de Moscow, depois no Conservatório de Moscow (1943-48) e como pós-graduado no mesmo conservatório (1948-51).

O currículo especial da Escola Central combinava intenso estudo musical e uma educação geral padrão, todos projetados para crianças talentosas.

Vida artística

Ainda sendo estudante, aos 17 anos de idade, ele fez seu primeiro concerto e começou a fazer turnê pela URSS. Foi co-vencedor do primeiro prêmio no Festival Mundial da Juventude, em Praga.

Então foi em 1951 que lhe ocorreu um importante avanço: Kogan ganhou o primeiro prêmio no concurso Queen Elisabeth, em Bruxelas. Ele interpretou o Concerto no. 1 de Paganini com impressionante virtuosismo e de forma clássica com a cadência de Sauret. Tanto o público quanto o júri ficaram encantados com o domínio artístico e o virtuosismo do jovem Kogan.

Escute a cadencia de Sauret executada por Leonid Kogan.

Também participaram desse concurso os violinistas soviéticos Mikhail Waiman e Olga Kaworsnewa. No júri estavam David Oistrakh e Jacques Thibaud e disseram: “Você certamente sabe que nossa posição é boa, nossos jovens tocam muito bem, eles estão no centro das atenções da plateia – acima de tudo, é claro, Leonid e Mikhail. Este par não tem rivais sérios…Leonid e Mikhail provavelmente receberão os dois primeiros prêmios.” Ele estava certo. Leonid Kogan (26 anos) ficou em primeiro lugar e Mikhail Waiman (24 anos) ficou em segundo lugar.

Juntamente com David Oistrakh e Eduard Gratch, Leonid Kogan ficou entre os melhores representantes da escola russa/judaica de violino. No entanto, o nome de Oistrakh sempre foi promovido com tanta força pelas autoridades soviéticas, que Kogan foi um pouco ofuscado por ele em sua vida. Isso também ocorreu porque Kogan evitou a publicidade por natureza. Kogan era um grande amigo de David Oistrakh, e muitas vezes ouvia as aulas e performance de Oistrakh. Embora dezesseis anos mais velho que Kogan, Oistrakh sempre o tratou como um colega igual, sem nenhum traço de superioridade.

Outro violinista ligado a Kogan foi Jascha Heifetz. Relembrando os concertos de Heifetz em 1934, Kogan diz “Eu assisti a todos os seus concertos e lembro até agora de todas as notas tocadas por ele… Heifetz era o artista ideal para mim”. Também Szigeti parece ter inspirado Kogan. Após um concerto, Kogan escreveu para Szigeti: “Decido seguir seus passos, uma tarefa difícil, de fato.”

Kogan foi o primeiro violinista soviético a tocar e gravar o Concerto para Violino de Berg. Entre os trabalhos dedicados a ele estão os concertos de Knipper, Krennikov, Karayev e Bunin, o Concerto-Rhapsody de Khachaturian e Sonatas de Levitin e Vainberg. Kogan teve um repertório de mais de 18 concertos, incluindo Vivaldi e o maior concerto de Bach em Mi menor.

Em 1976, Kogan foi membro do júri do Concurso Internacional Rainha Elisabeth em Bruxelas. Em 1980, Kogan foi convidado a lecionar na Academia Chigiana em Sienna, Itália.

As gravações e interpretações de Kogan são impressionantes. Sua maneira de variar o timbre do violino, a intensidade do som e as fantasias e sensações que ele expressa são realmente magníficas. David Oistrakh, depois de ouvi-lo tocar em um concerto quando Kogan tinha apenas 17 anos de idade, observou: “Kogan tocou com muita precisão, com maestria e maturidade surpreendentes. Fiquei impressionado com o som dele e a respiração do movimento”. Kogan realizaria todos os Caprichos de Paganini, por exemplo, no pequeno salão do Conservatório de Moscow, e esses recitais sempre foram uma experiência única para os que compareceram. O estilo de Kogan é considerado mais moderno que o de Oistrakh. O tocar de Kogan, de acordo com Boris Schwarz, era mais enxuto, mais angular e agressivo. É mais rítmico e propulsivo que Oistrakh, uma abordagem meditativa e seu vibrato mais rápido e mais puro. Seu estilo era talvez mais objetivo que o de Oistrakh e certamente muito diferente. Ele evitou efeitos extravagantes e foi bastante reticente no palco.

Seu violino era um Guarneri del Gesù, datado de 1726 (embora ele também tivesse outro datado de 1733), que Oistrakh adquiriu para ele no início dos anos 1960. Kogan tocou um Stradivarius nos primeiros anos de sua carreira. Seu filho, Pavel, nascido em 1952, tornou-se um famoso violinista e maestro. Sua filha, Nina, uma pianista, o acompanhou nos últimos anos. Infelizmente Leonid Kogan faleceu prematuramente, em um trem, na estação ferroviária de Mytischa durante uma turnê. Ele tinha apenas 58 anos.

Kogan tornou-se Artista Homenageado em 1955, Artista Popular da URSS em 1964, e recebeu o Prêmio Lenin em 1965.

Documentário sobre Leonid Kogan.
Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *